Imprimir

Não à perseguição: SINTESE se solidariza ao companheiro Plínio Pugliesi

Escrito por Caroline Santos Ligado . Publicado em Sociedade

plinio puglieseplinio pugliese

A direção executiva do SINTESE e coordenações das sub-sedes se solidarizam com Plínio Pugliesi, dirigente sindical do Sindijus e presidente em exercício da CUT/SE. Plínio tem sido vítima de perseguição por parte da gestão do presidente do Tribunal de Justiça desembargador Cesário Siqueira Neto

Na manhã desta segunda, servidores públicos e dirigentes sindicais estiveram em frente ao Palácio de Justiça para prestar solidariedade ao companheiro Plínio Pugliesi dirigente sindical do Sindijus e presidente em exercício da CUT/SE.

Desde que voltou às suas atividades laborais (Plínio estava liberado para a atuação sindical) no final do mês de maio que o servidor do Poder Judiciário de Sergipe tem sido vítima de perseguição. Em menos de 1 mês foi removido e lotado em 3 setores diferentes.

Ele conta que solicitou o retorno às atividades laborais por entender que tanto quanto a liberação para a atuação sindical é importante, mas também é fundamental estar em seu local de trabalho. Logo após sua chegada e readaptação ao novo setor de trabalho foi convidado a ir outro setor, como recusou o convite foi removido contra a própria vontade para dois outros setores.

O Sindijus já enviou requerimento e busca agendar audiência com o presidente do TJ/SE para saber qual o motivo para a remoção de Plínio, pois os argumentos alegados pela Direção de Gestão de Pessoas do TJ/SE é a falta de servidores nos locais, mas o sindicato já verificou e esse argumento não procede.

“O que está sendo feito a Plínio Pugliese não só o afeta pessoalmente, mas também a toda a classe trabalhadora. A ação do Tribunal de Justiça de Sergipe em isolar um trabalhador que também e dirigente sindical só deixa ainda mais explicito para qual lado pende as decisões do judiciário e não é para a classe trabalhadora. Toda a nossa solidariedade ao companheiro Plínio ”, afirma a presidenta do SINTESE, Ivonete Cruz.