Imprimir

África: cheiro de amor

Ligado . Publicado em Joel Almeida

“Inspiração do meu sonho não quero acordar

Quero ficar só contigo não vou poder voar

Como no filme, no final tudo vai dar certo...”

Bernardo Faria

Enigmática, exótica,inebriante ...assim como decifraria a África PQAAADIpjVEEuh6wLRV6Jvk4v4rSlxc6EDzmlQfk-SC6WdiaJ7JP4OzlCG3VDO7H0GHhc2ygychgXK9qncWVXUFbpJoAm1T1UJ5wYSkOf4zo0EKP3xFxY5ghgG_o2PQAAADIpjVEEuh6wLRV6Jvk4v4rSlxc6EDzmlQfk-SC6WdiaJ7JP4OzlCG3VDO7H0GHhc2ygychgXK9qncWVXUFbpJoAm1T1UJ5wYSkOf4zo0EKP3xFxY5ghgG_o2que minha visão não cansa de contemplar, e meu olfato de bicho do mato escravizado, retido, saudoso, não me deixa confundir, é cheiro de amor. Como começar essa história, são tantas coisas, tanta beleza, tanta contradição, tantos tentos marcados, tantos olhares para a “Table Mountain”, e para o “Cape Point” que tenho a certeza de que este lugar “ Cape Town” foi apartado do Rio de Janeiro. Cortaram os continentes, a outra parte prostou-se aqui, tão linda e insinuante quanto o nosso Rio de Janeiro. Mas, bem, vou compartilhar esse momento por etapas.

O  CONGRESSO

Este é o 6º Congresso Mundial da IE ( Internacional da Educação), com o tema Uma Educação de Qualidade para Construir o Futuro”, ele se divide em duas etapas, a primeira com temas diversos em relação às questões das mulheres, LGBT, dos indígenas e negros, além da educação superior. Vimos nessa etapa a participação de estudantes secundaristas africanos. Pude conversar com Luís e Assibia, presidentes de sindicatos, ele do Guiné-Bissau  e ela de Gana, o Luís tem o jeitão do Rui Oliveira, da Bahia, penso que parte dos baianos vieram lá do Guiné.

Na segunda etapa os aspectos que envolvem a política geral da educação básica, além da discussão organizativa da entidade e eleição da direção da entidade. Há representação do mundo inteiro, e aqui se elege 1 presidente, e 1 vice-presidente para cada região do mundo, a nossa abarca toda a América Latina, e Juçara Dutra, ex-presidente da Cnte, é atual vice e está concorrendo a segunda reeleição. Infelizmente, os problemas nossos são mundiais, baixos salários, e muitos países ainda com condições de trabalho aviltantes. Estiveram presentes no evento o Vice-Presidente da África do Sul e vários ministros.

O modelo organizativo da IE é elitista e anti-democrático. Aqui, o número de delegados ao Congresso deriva da quantidade de professores que estão na base das entidades nacionais, o valor da inscrição é altíssimo, e não há uma checagem se a quantidade de delegados informada está correta, ou seja, quem pagar mais inscrição terá maior delegação. A CNTE inscreveu 5 delegados, há aqui também 5 dirigentes de alguns sindicatos filiados à CNTE, que vieram custeados pela entidade de origem.

Apesar das contradições, não se pode desprezar um momento desse, é ainda um espaço de tentativa de uniformizar uma pauta de política educacional com consequente para o mundo.

A  CIDADE

Para chegar em Cape Town ( Cidade do Cabo) na  África do Sul foi muito cansativo. Saímos de São Paulo às 18h em um vôo de 8h até Johannesburg. Quando chegamos em Johannes eram 7h da manhã, ou seja, aqui a diferença de fuso-horário é de 5h para mais. Portanto 7 da manha na África são 2h da madrugada no Brasil. Em seguida tivemos que pegar um outro vôo para Cape Town, que durou duas horas. Cape Town é uma cidade de primeiro mundo na África do Sul, é a antítese da pobreza que conhecemos da África. Á África do Sul tem três capitais, Cape Town – capital legislativa, Johannesburg – Capital econômica, e Pretoria – capital judiciária. Não cheguei a conhecer as outras, mas pelo que ouvi falar aqui, e pelo que vi, a Cidade do Cabo é a mais organizada, limpa, segura e bela de toda a África do Sul. Tudo no centro da cidade e nos arredores parece que foi construído há um ano, por ocasião da Copa do Mundo, prédios imensos, conservados, avenidas largas, limpas, bem sinalizadas; calçadas e calçadões com tijolos vermelhos, praças amplas, bem cuidadas, encontramos esquilos e pombos passeando nelas,lojas modernas. Na chegada um susto,  a mão do trânsito é inglesa, o volante dos automóveis é do lado direito, bem como a mão de direção, a todo momento você pensa que o carro vai bater.  Por falar em carros, aqui a Hyundai e a BMW dominam o mercado com seus carrões, com muitos negros ao volante. O aeroporto é grande e moderno, o Centro de Convenções é um espetáculo.

A Cidade do Cabo é ladeada pela Table Mountain ( Montanha de Mesa) é uma montanha imensa de pedras retas no topo, com formato de mesa, é um grande ponto turístico aqui, tem  um bonde e um trenzinho que  leva os turistas ao topo, igualzinho ao Corcovado no Rio. Não pudemos chegar ao topo, os transportes estavam em manutenção. Aqui o ano passado, foi uma das sedes da copa do mundo, a nossa algoz, a Holanda, jogou nesta cidade, e como é lindo o estádio – O Green Point – os africanos dizem que virou um elefante branco, o futebol não é tão desenvolvido,  e o estádio ficou sub-utilizado. Mas, a grande  beleza de encher os olhos é o caminho ao Cabo da Boa Esperança, o porto das focas, os pingüins, e o cabo, como é lindo, exuberante. Gente, dobrei o cabo da boa esperança, vida longa para todos nós!

Mas vi também duas favelas de latas, uma grande, vizinha ao aeroporto, e outra pequena, próxima ao centro da cidade. Aqui, provavelmente por preconceito, fala-se que são os lugares mais violentos, e onde se cometem pequenos furtos, pois homicídios é raro.

O POVO

A Cidade do Cabo é uma cidade negra, mais de 90% dos que vi aqui são negros. Nos aeroportos, hotéis, restaurantes, lojas, mercados, quase todos os trabalhadores são negros. Andam bem elegantes e são muito educados, dizem que é o lugar mais tranqüilo da África, comenta--se  que aqui  é ao contrário de Johannesburg, que é muito violenta, sobretudo por conta de Soweto,  que fica em Johannes. Queria conhecer Soweto, mas acho que não vai dar. As mulheres do Caboi são “rebucolosas”, e as meninas mais jovens imitam o corte de cabelo da cantora americana Rihanna. Fiquei encantado com três crianças africanas que saiam da escola, tão puras e doces,nos recepcionavam calorosamente. Mas foi no mercado que vi um exemplo de ser humano, John Ndjila, um jovem rapaz do Congo, disse-me que tinha 27 anos, mas parecia um adolescente, ele ajudava os artesãos a se comunicarem com os turistas.

John era um jovem missionário metodista muito simples, me perguntou se eu era cristão, o rapaz falava quatro línguas, a de seu lugar, o suali, o inglês, o francês, o português, e compreendia bem o espanhol. Disse-me que aprendeu português em Moçambique. Depois de conversarmos muito, me perguntou se estava em redes sociais, disse a ele que estava no facebook, de imediato ele pegou um simples celular, acessou o face, me localizou, e pediu pra adicioná-lo. Um espetáculo humano!

Todos dizem que depois da copa do mundo o desemprego aumentou, pois houve muita imigração para trabalhar na construção civil, sobretudo de Moçambique, e não é difícíl encontrar pedintes nas ruas.

A ALIMENTAÇÃO

A comida é maravilhosa, um tempero fantástico. Os pratos são caprichados, bom peixe, muita carne de boi e frango, no entanto, quase não tem arroz aqui, só carnes e batata frita ou salada, pense para quem está acostumado com um prato de arroz e feijão. Por falar em feijão, só encontrei dois dias no café da manhã do Hotel, maravilha, não é? Aqui o tempero é tudo, além de vir caprichado no prato, isso quando já não vem com pimenta, você tem muita opção sobre a mesa se quiser reforçar o tempero. O legal  foi que, pela primeira vez, comi uma deliciosa moqueca de frango, isso mesmo, ao invés de peixe, frango. Os preços dos restaurantes são um pouco mais baratos que no Brasil, pratos individuais custam entre 60 e 80 rands – moeda local – desvalorizada 4 vezes em relação ao real – ou seja, o mesmo prato no Brasil equivaleria entre 15 e 20 reais.

Depois de vir aqui, não tem jeito, quero ficar, quero ir em Soweto,  conhecer Angola, Moçambique.... Vou ao Congo, na terra de John... Vou deixar o tempo passar,  que  a vida diga sim. Esta semana pelo msn perguntei a Conceição se ela viria com minhas filhas, me respondeu, ,disse que sim, depois disse que ia pensar.... só me resta apelar .....

O vento faz rendez-vous

No seu cabelo alinhado

Acostumado com o meu embolado

Acho que o passo é do seu sapato

Dona Naná tá danada

O santo dela desceu

A jangada tá lavada

Entre nela mais eu

Vumbora amar

Embora mais eu

( Carlinhos Brow )

ATÉ BREVE!


{vsig}africa_joel{/vsig}