Imprimir

Riachão do Dantas: crianças de escolas municipais estão sem água e sem alimentação

Escrito por Luana Capistrano Ligado . Publicado em Redes Municipais

Com a proximidade do fim de seu mandato o prefeito, Ivan Macedo, parece ter deixado de lado suas Em muitas escolas de povoados as cisternas estão vazias Em muitas escolas de povoados as cisternas estão vazias obrigações com algumas escolas da rede municipal de Riachão do Dantas. Nas últimas semanas muitas escolas em povoados pertencentes ao município ficaram sem água para consumo e consequentemente sem qualquer condição de fazer o preparo da alimentação escolar para os alunos.

Isso porque a prefeitura parou de mandar caminhões pipa para abastecerem as cisternas de escolas, que não possuem água encanada. Como o município de Riachão do Dantas passa por um período de grande estiagem as escolas dos povoados dependem dos caminhões pipa para o seu abastecimento.

Devido à falta de água não há como preparar a alimentação para as crianças e por isso as Escolas Municipais João Carvalho da Fonseca Melo (povoado Baixa do Frio); Horácio Dantas Góis (povoado Meia Légua); Nossa Senhora de Aparecida, (povoado Canto dos Veados), Mariana Fontes da Costa (povoado Forras);  Jornalista Valeriano Felix dos Santos (povoado Colônia Boqueirão) e Maria do Carmo Nascimento Alves (povoado Cipozinho) estão liberando mais cedo os alunos, pois não há como manter as crianças nas escolas sem água para beber e sem alimentação.

“Como pode deixar crianças em escolas sem água e sem alimentação? Esta é uma ação cruel por parte da prefeitura, que não pode simplesmente se furtar de suas responsabilidades com as crianças e com toda a população de Riachão do Dantas. Esta é uma denúncia extremamente grave e esperamos que os órgãos competentes tomem medidas urgentes e enérgicas”, coloca a diretora do Departamento de assuntos para as bases municipais do SINTESE, professora Sandra Morais.  

Água contaminada

A Escola Municipal Abdias Oliveira, localizada no povoado Vivaldo, também ficou sem água, pois uma grave situação foi constatada. A água dos poços artesianos que abasteciam a escola está contaminada. O fato ocorreu porque utilizaram um dos poços da escola, para a construção de uma fossa e com isso os outros poços que ofereciam água para a escola foram contaminados por coliformes fecais.

“Foi mandada fazer uma analise da água da escola Abdias Oliveira e se constatou altos índices de coliformes fecais na água que estava sendo consumida pelos alunos. Nosso grande questionamento é: como se permitiu construir uma fossa utilizando um dos poços da escola, já que era previsível que esta ação contaminaria toda a água ao redor e colocaria em risco a saúde de todos? O que ocorreu é grave”, enfatiza o professor da rede municipal de Riachão do Dantas e representante da comissão do SINTESE no município, professor Waldeir Nascimento Souza.

Há poucos dias a prefeitura mandou a Escola Municipal Abdias Oliveira um caminhão pipa para abastecer uma cisterna existente na escola, a fim de garantir água para o consumo dos alunos e para demais serviço. No entanto, os pais das crianças preferem mandar água de suas casas a permitir que seus filhos bebam a água trazida pelo caminhão pipa.

Sem alimentação

Na Escola Municipal Luiz Antônio Barreto, localizada em Riachão do Dantas, há duas semanas não é servida alimentação escolar. Ladrões entraram na escola e levaram alimentos e o botijão de gás. Passadas duas semanas até agora a prefeitura não fez a reposição dos produtos alimentícios e do botijão furtados.

Resultado de denúncia feita pelo SINTESE

Após denúncia do SINTESE, feita em sua rede social, na última quarta-feira, 22, sobre a falta de água na Escola Municipal Ursino Souza Ramos, no povoado Alto do Cheiro, a prefeitura de Riachão do Dantas mandou um caminhão pipia para abastecer as duas cisternas da escola que há duas semanas estavam secas.

O SINTESE já encaminhou ofício ao Ministério Público Estadual denunciando a situação das escolas municipais de Riachão do Dantas.